Qual a espessura ideal do cabo de aço para uma tirolesa?

Mulher praticando tirolesa. Ela é branca e está vestindo calça azul, camiseta regata da cor branca e capacete laranja

Você sabe qual é a espessura do cabo de aço para a tirolesa? Esse é um dos principais aspectos para garantir toda a segurança em uma das atividades que une diversão e contemplação da natureza que tem atraído cada vez mais praticantes pelo mundo.

Portanto, ao longo deste artigo, iremos explorar fatores de influência na escolha da espessura ideal do cabo de aço para tirolesas e dicas de como escolher corretamente o melhor cabo. 

Se você pratica tirolesa ou apenas alguém que tem curiosidade sobre a modalidade, siga a leitura deste conteúdo para obter informações valiosas a respeito de um dos mais importantes fatores para garantir uma experiência segura. Vamos lá?

Entenda o cabo de aço da tirolesa

A tirolesa é uma atividade ao ar livre em que a pessoa é suspensa por um cabo de aço e desliza de um ponto a outro, usando a força da gravidade. Portanto, esse cabo de aço é como se fosse o coração da tirolesa. Ele contém várias camadas de arame de aço entrelaçadas. Esse equipamento precisa ser muito forte, com alta durabilidade e flexível ao mesmo tempo. 

Existem variados tipos de cabo de aço, cada um com suas características para utilizações diferentes. 

Aberto ou Fechado

Os cabos abertos são formados por pernas, que por sua vez são formados por arame. É a forma mais comum de cabos de aço que conhecemos. Os cabos fechados são menos comuns, não tendo fabricação nacional, caracterizado por uma camada externa de arames que torna a superfície lisa. Para situações onde há a passagem de polias o cabo fechado possui a vantagem de eliminar a vibração e ruído. A tirolesa do Parque Bondinho Pão de Açúcar é uma das poucas tirolesas no mundo com essa tecnologia.

Perfil do Cabo fechado – similar ao utilizado na tirolesa do Parque Bondinho Pão de Açúcar

Cabo aberto – utilização diversa

Número de arames e construção do cabo 

O cabo fechado vai ter o número de arames em basicamente em função do diâmetro do arame e do diâmetro final do cabo, sobrepondo camadas. O cabo fechado da tirolesa do Parque Bondinho Pão de Açúcar possui 22 arames (diâmetro 15 mm); o cabo fechado que sustenta o peso dos Bondinhos possui 119 arames (diâmetro 50 mm). Já o cabo aberto possui uma possibilidade mais ampla de arames, que além do diâmetro do cabo e dos arames vai depender da construção do cabo. Exemplos são: 

  • 6×19 (cabo com 6 pernas, 19 arames em cada perna) 
  • 35x7k (cabo com 35 pernas, 7 arames em cada perna)
  • 6×36 (cabo com 6 pernas, 36 arames em cada perna)

Formação 6×19 
Formação 35x7k compacto – Usado em gruas e talhas

Formação 6×35 – Usado por exemplo em tirolesas teleféricos

Número de pernas

O número de pernas dos cabos abertos pode variar bastante dependendo da utilidade. Quanto maior a quantidade de pernas, menos rugosa será a superfície e menor será a vibração para a passagem de polias.

Tipo de arames

Os arames podem ser redondos, em Z, em I, compactos etc. São diversos tipos de formação para os variados usos.

Resistência dos arames

Os arames podem ter diferentes resistências ao rompimento. Quanto maior a resistência, menos flexibilidade. Maiores resistências também permitem um menor diâmetro final do cabo

Torção dos arames e pernas

As pernas e os arames podem estar torcidos no mesmo sentido ou em sentido oposto. A torsão no mesmo sentido tem como resultado maior tendência de girar uma carga suspensa, por exemplo, mas dá maior resistência do cabo aos movimentos de flexão.

Acabamento superficial

Os cabos podem ter acabamento do tipo polido ou galvanizado. O cabo polido basicamente possui o aço sem tratamento. O cabo galvanizado possui uma aplicação de fina camada de zinco na camada exterior, provendo resistência à corrosão. O cabo da tirolesa do Parque Bondinho Pão de Açúcar é do tipo galvanizado.

Fatores determinantes na escolha do cabo de aço para tirolesa

A especificação do cabo de aço é um dos aspectos mais importantes na construção de uma tirolesa. Essa escolha não pode ter como base a experiência geral ou intuição. É preciso uma análise cuidadosa de vários fatores técnicos e ambientais.Um cabo que não seja adequado, pode prejudicar a segurança dos usuários e a durabilidade da tirolesa.

Sendo assim, veja agora os principais pontos que devem ser considerados para a escolha do cabo de aço para a tirolesa. 

Peso e capacidade de carga

O primeiro fator para ser considerado é o peso que o cabo deve suportar. Isso inclui não apenas o peso dos praticantes, mas também o equipamento adicional que pode ser utilizado durante a descida. A espessura do cabo deve ser suficiente para suportar a carga máxima esperada com uma margem de segurança adequada. A carga transmitida para o cabo é muito superior às cargas verticais diretamente aplicadas, em função da geometria, e varia em função da posição aplicada. Por exemplo, um praticante de 80 kg pode aumentar em mais de uma tonelada a carga na ancoragem do cabo quando ele está posicionado no meio da linha.

Distância e declividade do percurso

A extensão do percurso da tirolesa também influencia a escolha da espessura do cabo. Para trajetos longos, um cabo mais grosso pode ser necessário para garantir a resistência e a estabilidade ao decorrer de toda a distância. Além disso, a declividade do percurso e a diferença de nível entre os pontos de ancoragem afetam a tensão no cabo.Condições climáticas e ambientais

As condições ambientais do local onde a tirolesa será instalada também são considerados fatores cruciais. Áreas com alta exposição a elementos corrosivos, como salinidade e umidade, exigem cabos com maior resistência à corrosão. Da mesma forma deve ser considerado o efeito do vento sobre o cabo para que sejam definidos os limiter operacionais e até mesmo a carga que este exerce sobre o cabo e suas suas ancoragens.. . 

Normas de segurança e regulamentações

As normas de segurança também desempenham um papel vital no desenvolvimento do projeto. É fundamental atender a todas as regulamentações pertinentes para garantir a segurança dos usuários e a conformidade legal da instalação da tirolesa.

Manutenção e durabilidade

Por fim, a durabilidade e a manutenção fácil são dois pontos que também devem ser considerados para especificar o  cabo. Os cabos galvanizados passam possuem mais resistência à corrosão e consequentemente possuem uma frequência menor de lubrificação. Cabos abertos estão mais sujeitos a acumular sujidades e elementos que também favorecem a corrosão.

Sendo assim, a espessura ideal do cabo de aço é equilibrada entre os requisitos técnicos de segurança e as características do local onde a tirolesa será praticada. 

Tirolesa Parque Bondinho Pão de Açúcar

O Rio de Janeiro está prestes a receber mais uma espetacular atração, é a Tirolesa do Parque Bondinho Pão de Açúcar que já está gerando uma grande expectativa para quem gosta da atividade. 

A Tirolesa do Parque Bondinho será ligada do Morro Pão de Açúcar ao Morro da Urca, em uma distância de 750 metros, podendo alcançar a velocidade de até 100km/h. 

Quer saber mais sobre essa futura atração, então acompanhe nossas redes sociais para obter todas as informações. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos posts

Descubra as maravilhas do ecoturismo no Rio de…
O turismo sustentável se consolida como uma necessidade…
Você já ouviu falar em ecoturismo? Essa atividade,…

Você pode gostar também

Monumento mais icônico do Brasil, símbolo do país…
Os patrimônios culturais do Brasil são repletos de…
No momento de programar uma viagem ao Rio…
Ao fazer as malas para viajar ao Rio…