Tirolesa

Uma experiência única para viver, sentir e amar.

Conduzido com ética e responsabilidade, o projeto da Tirolesa do Parque Bondinho Pão de Açúcar é um presente para o Rio de Janeiro, que nasce da união entre tecnologia avançada, sustentabilidade, compromisso ambiental, acessibilidade e inclusão.

As instituições mais relevantes do Rio estão com a gente:

Números que refletem nosso compromisso

Ilustração.
~ 150
empregos gerados direta e indiretamente desde o início do projeto
~ 1.6 M
de visitantes ao ano
48000
de áreas verdes adotadas
+ 60000
alunos e professores no programa ambiental Educa Bondinho
100 ton
de resíduos encaminhados para reciclagem e compostagem por ano
100 %
das emissões de carbono compensadas

Uma história de mais de 110 anos de inovação e amor ao Rio

Somos o primeiro teleférico do País. O terceiro e mais antigo em funcionamento do mundo. Surgimos de uma ideia visionária. E agora estamos diante de outra. A tirolesa mais bonita do planeta. Conheça a nossa história

Paisagens do Rio de Janeiro

Conheça o projeto da tirolesa mais bonita do mundo.

Vídeos curtos e diretos sobre cada tema relacionado ao projeto.

Sinta a emoção de voar sobre a Cidade Maravilhosa

Prepare-se para viver uma experiência inesquecível. Dê o play e veja o que espera por você.
Reproduzir vídeo

Palavra da liderança

“A ideia de criar no Brasil a tirolesa mais linda do mundo é resultado de nossa consciência e compromisso com o ambiente em que estamos inseridos. […] estamos orgulhosos de poder trabalhar pelo desenvolvimento de um projeto que trará resultados positivos para a sociedade e, também, para a imagem do Brasil.”

Blog da Tirolesa

Descubra mais sobre o projeto que vai revolucionar o turismo no Rio de Janeiro, além de obter informações sobre passeios, lazer e sustentabilidade.

Descubra as maravilhas do ecoturismo no Rio de…
O turismo sustentável se consolida como uma necessidade…
Você já ouviu falar em ecoturismo? Essa atividade,…
O que você acha de ter 7 ótimas…

Perguntas frequentes

Além da grande integração com a natureza, a intenção é melhorar a experiência dos nossos visitantes e tornar a visita ao Parque Bondinho Pão de Açúcar® ainda mais prazerosa e inesquecível. Sem dúvida, a nova atração será única e com uma vista espetacular, permitindo uma imersão em um dos cenários naturais mais icônicos do Rio de Janeiro. Queremos que todos os espaços sejam usados com consciência e responsabilidade, levando momentos de felicidade a todos que queiram apreciar as belezas naturais que o Parque tem para oferecer.
A tirolesa será um grande ativo para o Rio e fomentará o turismo sustentável de qualidade e com acessibilidade, não somente na cidade, mas no Brasil. Nosso objetivo é atender, simultaneamente, às necessidades dos turistas e das comunidades receptoras, protegendo o meio ambiente e ampliando as oportunidades de desenvolvimento econômico-social para o futuro. Além de gerar empregos, diretos e indiretos, ela trará repercussão internacional positiva, que atrai cada vez mais turistas para o Brasil, fomentando a economia.
Turistas em geral e a sociedade brasileira como um todo, especialmente cariocas e todos os moradores da cidade. A economia e o meio ambiente também serão beneficiados, visto que a tirolesa servirá como referência para que outras iniciativas no Brasil, com foco no turismo sustentável e na acessibilidade, ganhem mais força e consigam se tornar realidade.

Serão quatro linhas que vão ligar o morro do Pão de Açúcar ao Morro da Urca, em um trajeto de 755 m, atingindo uma velocidade de até 100 km/h.

Os cabos da tirolesa do Parque Bondinho foram produzidos por um fornecedor internacional: a fabricante suíça Fatzer, uma empresa do grupo BRUGG, com mais de 185 anos de experiência em produção de cabos de alta qualidade. É o mesmo fornecedor dos cabos do bondinho. Os cabos possuem tecnologia única e com elevados padrões de segurança. Sua camada externa foi projetada com objetivo de reduzir ao máximo as vibrações. Adicionalmente, a espessura dos cabos foi idealizada para que houvesse maior integração com a paisagem, gerando a mínima intervenção visual nos elementos naturais da área e do entorno.